MÁSCARAS



Acostumados com ela nos ambientes hospitalares, em áreas onde há manuseio de produtos químicos, nos cenários apocalípticos retratados em filmes de ficção, as máscaras tornaram-se símbolo de proteção e cuidado contra elementos infecciosos. Nesta guerra mundial contra a Covid-19, as máscaras tornaram-se parte do vestuário das pessoas, do uniforme obrigatório, em diversas organizações e empresas. No entanto, aos poucos, a população foi entendendo a importância de usá-la no seu cotidiano como forma de se proteger contra possível contágio por corona vírus. As máscaras, indiscutivelmente, ganharam as ruas e passaram a fazer parte do cenário do nosso cotidiano. Sua ascensão é visível, de simples parte do Kit de proteção profissional, as máscaras tornaram-se adereço, artigo da moda. Há mascarás coloridas, estampadas, logotipadas, de todos os tipos e gostos. As pessoas estão descobrindo que além de se protegerem do perigoso vírus, eles conseguem um pouco privacidade e um acessório para agregar valor estético. O uso de máscaras foi introduzido no mundo pelo teatro, mas nós seres humanos já temos familiaridade com elas desde há muito. Cedo aprendemos a tecer um tipo de máscara invisível, mas que serve muito bem ao nosso disfarce. Por vezes quando ela é descoberta o sujeito que a usa é chamado de hipócrita, termo este, derivado de “ypokritis” uma designação aos atores gregos que usavam máscaras para representarem, lá nos tempos da Grécia antiga. A máscara contra o vírus é necessária e indispensável, mas a máscara da hipocrisia é um mal que devemos rejeitar. A máscara da hipocrisia é usada como parte da armadura da guerra na luta pelo poder. É o adereço indispensável do astuto, orgulhoso e dissimulador. Usamos máscaras como modo de esconder aquele aspecto da nossa vida que não queremos expor para não perder o prestígio, o status e a consideração. A máscara, no teatro, serve para representar, na vida real, para fingir. Fingir que ama, que gosta, que aprecia, que aprova, que apoia e respeita. No entanto, o mau das máscaras é que elas um dia, como disse Alexandre Garcia, conhecido jornalista, elas se esgarçam e caem. A bíblia diz que Moisés escondeu o rosto, para que a s pessoas não percebessem que seu rosto não mais brilhava. Palavra de Deus nos aconselha a andar moral e espiritualmente com o rosto descoberto, isto é, de cara limpa. (2Co.3.17,18) Paulo apóstolo não usava máscaras ele primava pela integridade e afirmou certa vez com toda convicção: Pela Graça de Deus eu sou o que sou. (ICo.15.10) Na luta contra a pandemia use máscara, no relacionamento com Deus e seus irmãos não esconda quem você é. Seja você mesmo. Mais vale a repreensão franca que o amor encoberto. (Pr.27.5)


Bispo Roberto Amaral

© 2023 por Amante de Livros. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Google+ B&W