NATAL


O Natal é inspirador. O costume de presentear é fruto desta inspiração, não obstante a evocação de lendas e folclores na tentativa espúria de contaminar a fonte motivadora do altruísmo, da boa vontade e do querer bem entre os homens. Sim, o nascimento de Jesus foi um ato Divino de presentear a humanidade com tão valiosa dádiva. Este gesto Divino não deve ser imitado de forma efêmera, interesseira e medíocre. O Natal deve nos inspirar a doarmos a nós mesmos como presente, capaz de nos fazer presentes intensamente na vida das pessoas. O Natal também inspira lembranças. Lembrança da infância, da juventude, de familiares, amigos, ocasiões e lugares. Este poder nostálgico do natal nos conecta com nossa história, nossas raízes. Mas a maior façanha do Natal é nos fazer lembrar de Deus, o Deus esquecido em meio a busca frenética pela sobrevivência ou pelo sucesso. Mas o Natal também inspira esperança. Esperança de dias melhores, de ver sonhos e desejos realizados. Esperança de ver a justiça triunfar sobre a injustiça e a verdade, sobre a mentira. Jesus teve seu Natal e é deste Natal que falo. O Verbo se fez carne e habitou entre nós, seu nome é Emanoel que significa Deus conosco. Ele é o dom (presente) de Deus para o mundo que Ele Deus amou de tal maneira.

Desejo que você experimente ao lado de seus familiares, amigos e irmãos a inspiração deste Natal.

Bispo Roberto e Márcia

#Tempodecrescer #BispoRobertoAmaral #IgrejaMetodistaWesleyana

© 2023 por Amante de Livros. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Google+ B&W